Brazilian Journal of African Studies

Brazilian Journal of African Studies

Basic info

  • Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Country of publisher: brazil
  • Date added to EuroPub: 2019/Apr/10

Subject and more

  • LCC Subject Category: Social Sciences
  • Publisher's keywords: African Studies, International Relations, Organizations and Integration, Security and Defense, Political Systems, History, Geography, Economic Development, Social Structures
  • Language of fulltext: portuguese, english
  • Full-text formats available: PDF

Publication charges

  • Article Processing Charges (APCs): No
  • Submission charges: No
  • Waiver policy for charges? No

Editorial information

Open access & licensing

  • Type of License: CC BY
  • License terms
  • Open Access Statement: Yes
  • Year open access content began: 2016
  • Does the author retain unrestricted copyright? True
  • Does the author retain publishing rights? True

Best practice polices

  • Permanent article identifier: DOI
  • Content digitally archived in: LOCKSS
  • Deposit policy registered in: None

This journal has '70' articles

RESENHA “O TEMPO DA JUVENTUDE: EMPREGO, POLÍTICA E MUDANÇAS SOCIAIS EM ÁFRICA” DE ALCINDA HONWANA

RESENHA “O TEMPO DA JUVENTUDE: EMPREGO, POLÍTICA E MUDANÇAS SOCIAIS EM ÁFRICA” DE ALCINDA HONWANA

Authors: Hélder Pires Amâncio
( 0 downloads)
Abstract

The Time of Youth is a book published in August 2012 in the United States by the Mozambican anthropologist Alcinda Honwana with the title – The Time of Youth: Work, Social Change and Politics in Africa. In May 2013, its Portuguese version was published in Maputo. In this book, the author discusses the experiences of young Africans in waithood3 and analyzes the socioeconomic challenges that most of these young people (also at the global level) face in the contemporary world. The book is a result of researches made in four African countries, namely: Mozambique, South Africa, Tunisia and Senegal, between 2008 and 2011. The book’s object of analysis are the many experiences lived by the young (particularly Africans) about how they deal with problems (such as unemployment, marginalization, the lack of civil liberties and sustainable means of survival, as well as, social inequalities) generated by failures of neoliberal politics, bad governance and political crises in Africa (Honwana 2013, 3 and 218). According to Honwana (2013), most part of the research was made with young people in urban contexts and only occasionally in rural contexts.

Keywords: RESENHA “O TEMPO DA JUVENTUDE, EMPREGO, POLÍTICA
A ÁFRICA E A HISTORIOGRAFIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

A ÁFRICA E A HISTORIOGRAFIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Authors: Akinbode Fasakin
( 0 downloads)
Abstract

Este artigo examina o que chamamos de historiografia de Relações Internacionais (RI) da África, uma avaliação da contribuição de acadêmicos africanos para o estudo da história e da disciplina de RI. Faz-se isso com base no mito que cerca a historiografia das RI, o papel bastante limitado das contribuições africanas e um conjunto de critérios retirados dos trabalhos de Schmidt e Bell sobre a escrita das RI. Embora reconheçam as RI de Hoffmann como uma ciência social americana, eles sugerem que a historiografia de um campo deve destacar perspectivas obscuras, pesquisadores que professam conscientemente as RI como sua disciplina e instituições que contribuem para o desenvolvimento da disciplina. Embora estudiosos das RI africanos atendam a alguns desses critérios, incluindo instituições e acadêmicos que se autodeclaram como acadêmicos de RI, a hegemonia americana e seu concorrente europeu cúmplice no campo influenciam muito os escritos acadêmicos africanos e as práticas que adotam no estudo das relações internacionais. Enquanto acadêmicos africanos trazem perspectivas africanas sobre questões globais para descobrirem o que eles fazem, eles respondem principalmente a tons teóricos, metodológicos e práticos estabelecidos em outros lugares, alguns até mesmo contrariando essas visões dominantes de teorias “importadas”, sem necessariamente desenvolver filosoficamente fundamentados estudos sobre RI na perspectiva africana. Consequentemente, embora as contribuições africanas para a disciplina e história da RI pareçam marginais, os escritores africanos de RI podem expandir seus impactos explorando a disciplina da História - uma visão que representa a natureza eclética da RI - e basear-se na história e nos eventos africanos para fornecer dados teóricos e filosóficos e insights empíricos para o estudo de RI na África. Embora a teoria pós-colonial seja um exemplo de tal reflexão, os estudiosos africanos de relações internacionais farão contribuições significativas para o campo por meio da introspecção, em vez de dependerem dos cânones orientados para o Ocidente.

Keywords: África; Historiografia de RI; Perspectiva africana
O BRASIL OLHA PARA A ÁFRICA: LUSOTROPICALISMO NA ABERTURA DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA PARA O CONTINENTE AFRICANO

O BRASIL OLHA PARA A ÁFRICA: LUSOTROPICALISMO NA ABERTURA DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA PARA O CONTINENTE AFRICANO

Authors: Fernando Sousa Leite
( 0 downloads)
Abstract

O presente artigo objetiva apresentar a política externa do Brasil para a África, desenvolvida na década de 1960, durante a vigência da Política Externa Independente, de Jânio Quadros e de João Goulart, mas efetivamente implementada por Mario Gibson Barbosa, no curso do regime civil-militar brasileiro, como tendo sido influenciado diretamente pelo pensamento de Gilberto Freyre, sobretudo pela ideia de lusotropicalismo. Ademais, analisa-se a presença do sentimento de "pernambucanidade" na retomada do Atlântico Sul como horizonte possível da política externa brasileira.

Keywords: Política africana do Brasil; lusotropicalismo; pernambucanidade
AVALIANDO A ARQUITETURA DE PAZ E SEGURANÇA AFRICANA (APSA) A PARTIR DE UMA ABORDAGEM INSTITUCIONALISTA E PELA DIFERENÇA QUE FEZ NA ÁFRICA DESDE 2002

AVALIANDO A ARQUITETURA DE PAZ E SEGURANÇA AFRICANA (APSA) A PARTIR DE UMA ABORDAGEM INSTITUCIONALISTA E PELA DIFERENÇA QUE FEZ NA ÁFRICA DESDE 2002

Authors: Juliana Abena Appiah
( 0 downloads)
Abstract

A Arquitetura de Paz e Segurança Africana (APSA) foi instituída pela União Africana (UA) em 2002 para manter as regras, normas, objetivos e princípios da UA sobre paz, segurança e estabilidade na África. A APSA também foi estabelecida para assegurar que o comportamento dos Estados membros da UA se moldasse a esses princípios e normas. A APSA deveria ser a estrutura operacional para a implementação efetiva de decisões tomadas sobre prevenção de conflitos, operações de paz, operações de apoio à paz, construção da paz e reconstrução pós-conflito. Seu mandato refletia a mudança para a segurança humana, que é amplamente aceita no nível continental. A APSA lidou com questões relacionadas ao desenvolvimento humano; promoção de práticas democráticas, boa governança e respeito aos direitos humanos, ação humanitária e gestão de desastres naturais. No quadro da teoria Neoinstitucionalista da integração, e com o uso de dados secundários, a hipótese deste trabalho é de que a APSA, como resultado de não aplicar de forma uniforme as suas regras para todos os Estados membros, vem tendo dificuldades na atuação em promoção da paz e segurança na África. O artigo, portanto, avalia o desempenho da APSA desde o seu início e apresenta uma visão geral dos principais componentes da APSA, seu arcabouço legal, bem como seus sucessos, perspectivas e desafios. O principal objetivo do artigo é verificar se a APSA fez alguma diferença na área de paz, segurança e estabilidade na África desde a sua criação. O trabalho constatou que, apesar dos grandes avanços feitos pela APSA em cumprir seu mandato para promover a paz, segurança e estabilidade na África, sua incapacidade de aplicar as regras, princípios, valores e normas da UA de maneira uniforme, para assim moldar o comportamento dos Estados membros, vem resultando em prejuízos para sua atuação. Para que a APSA lide eficazmente com os conflitos na África, recomenda-se que a UA desenvolva e mantenha um grande interesse nos recursos técnicos, humanos e financeiros da APSA para permitir que funcione da melhor forma possível. A União Africana é encorajada a permitir que as regras funcionem e que sejam aplicadas uniformemente aos estados membros. A UA deve também continuar a construir e reforçar as suas parcerias com organizações internacionais preocupadas com a paz e a estabilidade em África.

Keywords: União Africana; APSA; Resolução de Conflitos
A CONSTRUÇÃO DA PAZ EM UMA FRONTEIRA INTERNACIONAL CONTESTADA: A RESOLUÇÃO DO CONFLITO FRONTEIRIÇO ENTRE NIGÉRIA E CAMARÕES E O SURGIMENTO DE NOVAS QUESTÕES

A CONSTRUÇÃO DA PAZ EM UMA FRONTEIRA INTERNACIONAL CONTESTADA: A RESOLUÇÃO DO CONFLITO FRONTEIRIÇO ENTRE NIGÉRIA E CAMARÕES E O SURGIMENTO DE NOVAS QUESTÕES

Authors: Kenneth Chukwuemeka Nwoko
( 0 downloads)
Abstract

O objetivo deste estudo é analisar as questões decorrentes do acordo de resolução do conflito fronteiriço entre Nigéria e Camarões, que poderia comprometer a “paz fria” entre os dois países; questões relacionadas com as repercussões psicológicas, socioeconômicas e políticas que o método de resolução do conflito e a sua aplicação trouxeram aos indígenas e habitantes da Península de Bakassi, bem como recomendações para uma paz duradoura nesta região problemática. Ao fazer isso, o estudo investiga como o processo de resolução do conflito, com base na decisão da CIJ e no Acordo Green Tree, criou questões mais complexas que encapsulam o interesse do povo de Bakassi, a partir do que deveria ter sido um processo triangular. A análise aqui expõe os danos: psicológicos, sócio-econômicos e políticos produzidos pela maneira peculiar com que o método de resolução do conflito atribuía maior importância ao interesse dos Estados, frente ao significado estratégico da Península e a exclusão de seus habitantes. O estudo traz à tona a necessidade da adoção de uma abordagem alternativa de construção da paz no pós-conflito, em face da ineficácia das abordagens existentes na promoção da paz positiva e desenvolvimento sustentável na região. Ele oferece recomendações que acomodariam o interesse triangular das partes interessadas: Camarões, Nigéria e Bakassi, capturados em uma rede de maneiras que promovam a segurança e o desenvolvimento na África Ocidental. O estudo adota os métodos qualitativos e, a partir dele, o método histórico em termos de coleta, análise e apresentação de dados. A coleta de dados é baseada em fontes primárias e secundárias selecionadas. As fontes primárias incluem dados de evidências orais de trabalho de campo, estudos de notícias, discussão de grupos focais (FGD) etc. Fontes secundárias incluem fontes escritas relevantes para o estudo; documentos de política da Administração do Governo Local de Bakassi, livros, revistas e artigos de periódicos, bem como trabalhos não publicados, teses e dissertações, entre outros. Dados orais para o estudo foram obtidos através de entrevistas pessoais com informantes-chave e discussões de grupo focal (FGDs) realizadas na Área de Governo Local de Akpabuyo no Estado de Cross River, na Nigéria, onde alguns dos Bakassi estão atualmente abrigados e as várias comunidades ao redor da península. Entrevistas orais com o porta-voz das pessoas deslocadas, bem como grupos de especialistas que já trabalham nesta área, ativistas de direito e jornalistas também foram contatadas para os propósitos deste estudo. Na análise e interpretação, o estudo emprega abordagens teóricas de disciplinas relevantes, como história, estudos de paz e conflito, política e direito, aplicando-os à situação histórica associada às preocupações do estudo. Na apresentação, o estudo combina os estilos cronológico, analítico e descritivo.

Keywords: Processo triangular; Construção da Paz pós-conflito; Acordo de GreenTree
O PADRÃO DE FORMAÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS, SUA EVOLUÇÃO E A BUSCA POR INTEGRAÇÃO NACIONAL NA NIGÉRIA

O PADRÃO DE FORMAÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS, SUA EVOLUÇÃO E A BUSCA POR INTEGRAÇÃO NACIONAL NA NIGÉRIA

Authors: Nathaniel Danjibo, Kelvin Ashindorbe
( 0 downloads)
Abstract

Os partidos políticos são instituições cruciais na construção de uma ordem democrática participativa; eles fornecem plataformas para o desenvolvimento de propostas de políticas públicas concorrentes, bem como servem como instrumentos para canalizar grupos sociais díspares em uma plataforma política comum, proporcionando, assim, um efeito estabilizador a uma sociedade de outra forma fragmentada. O significadodos partidos políticos, portanto, vai além da função utilitária de contestar ou reter o poder político para incluir a capacidade de fornecer uma força unificadora em face de clivagens étnico-religiosas profundas. A trajetória histórica da formação de partidos políticos na Nigéria, entretanto, contraria esse ideal teórico e normativo. Os partidos políticos na Nigéria pré e pós-independência serviram como locais para a mobilização do povo ao longo das linhas de falha primordiais. Este artigo argumenta que os dois principais partidos políticos da Nigéria hoje apresentam uma oportunidade para romper o ciclo de partidos regionais que não se esforçaram ativamente para a integração nacional.

Keywords: Partido Político; Mobilização; Democracia; Integração; Nigéria
INVESTIGANDO O SIGNIFICADO DECRESCENTE DE GOVERNO E FILANTROPIA NA NIGÉRIA: RELIGIÃO COMO REFÚGIO?

INVESTIGANDO O SIGNIFICADO DECRESCENTE DE GOVERNO E FILANTROPIA NA NIGÉRIA: RELIGIÃO COMO REFÚGIO?

Authors: Mike Omilusi
( 0 downloads)
Abstract

A religião desempenha um papel considerável em muitas sociedades ao redor do mundo e isso é especialmente verdadeiro na Nigéria. Muitos dos grupos religiosos do país estão unidos por sua crítica ao fracasso do governo federal e estadual da Nigéria em fornecer assistência social aos cidadãos. Assim, como a boa governança continua a ser ausente para maioria dos nigerianos e em face da fraqueza do Estado nigeriano e da ineficiência de suas instituições para proporcionar o bem humano aos seus cidadãos, as organizações religiosas agora fornecem uma gama de serviços sociais através dos seus numerosos membros em todo o país. Como os ricos nigerianos doam e quais são as suas motivações? O tradicional gesto filantrópico africano (comunalismo) está desaparecendo na Nigéria? Este ensaio está, portanto, preocupado, principalmente, com a intervenção de organizações religiosas no atendimento das necessidades espirituais e físicas de muitos cidadãos nigerianos - desiludidos e frustrados em consequência do fracasso do governo. Ele examina como a religião se tornou um santuário de esperança e refúgio diante de desafios socioeconômicos assustadores e como, ironicamente, essa patética condição humana está sendo explorada por alguns líderes religiosos. Também investiga o estado de filantropia cada vez menor dos indivíduos e entidades corporativas do país dentro do contexto do comunalismo africano.

Keywords: Governo; Religião; Filantropia; Desenvolvimento Humano; Cidadão
O FIM DA ERA MUGABE NO ZIMBÁBUE: MUDANÇA OU CONTINUIDADE?

O FIM DA ERA MUGABE NO ZIMBÁBUE: MUDANÇA OU CONTINUIDADE?

Authors: Nathaly Silva Xavier Schütz
( 0 downloads)
Abstract

Em novembro de 2017, depois de 37 anos, encerrou-se o governo de Robert Mugabe no Zimbábue. A mudança no poder é um marco na história do país e do Continente Africano como um todo. O objetivo do artigo é analisar os fatores que condicionaram a queda do poder de Mugabe e as possíveis mudanças no contexto político do país. Parte-se do pressuposto de que as relações externas do país, aliadas às divisões internas do partido, condicionaram a crise que culminou com o fim do governo de Mugabe. A postura de não interferência nos assuntos domésticos tanto dos vizinhos africanos, quanto do principal parceiro econômico do Zimbábue, a China, da mesma forma que possibilitou a manutenção de Mugabe no poder ao longo de quase quatro décadas, também propiciou que a transição para Mnangagwa, assistida pelos militares, ocorresse sem maiores intercorrências. As disputas internas da ZANU-PF, por sua vez, alimentadas pela necessidade cada vez maior de que Mugabe indicasse um sucessor, gradualmente, foram enfraquecendo o poder de Mugabe e criando novas alianças. A mudança na figura de liderança do país, todavia, não parece indicar alterações significativas nas condições políticas do país, nada obstante algumas modificações na condução da economia possivelmente ocorram.

Keywords: África; crise política; Zimbábue
COLONIALISMO DUAL E FORMAÇÃO DO ESTADO NACIONAL: O CASO SUL-AFRICANO

COLONIALISMO DUAL E FORMAÇÃO DO ESTADO NACIONAL: O CASO SUL-AFRICANO

Authors: Maximilian Dante Barone Bullerjahn
( 0 downloads)
Abstract

Desde a colonização holandesa no Cabo, o espaço sul-africano passou a constituir um efetivo ponto geoestratégico, inicialmente ancorado no mercantilismo da metrópole, e posteriormente, com a chegada britânica, realiza um processo de abertura comercial e de expansiva colonização territorial de europeus e também populações asiáticas afiançadas pelos ingleses. Após duas guerras internas, a África do Sul chega ao início do século XX a um entendimento político, formando a União Sul-Africana, que abre espaço, após a Segunda Guerra Mundial, para a ascensão de um regime nacionalista conservador, responsável pelo recrudescimento da segregação racial já vigente. Reconhecido bastião anticomunista no meridional africano, a África do Sul desenvolve no século XX capacidades militares e uma economia nacional de mercado sem equiparação no continente todo. Enquanto afirma seu projeto nacional, o país encontra-se limitado pelo crescente descrédito da comunidade internacional, que, através da ONU e da OEA, impõe embargos e boicotes ao governo sul-africano.

Keywords: África do Sul; Colonização da África; Formação de Estado; Apartheid
DIVERSIDADE CULTURAL NAS DEFINIÇÕES DAS POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR EM CAMARÕES: UMA ANÁLISE HISTÓRICA

DIVERSIDADE CULTURAL NAS DEFINIÇÕES DAS POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR EM CAMARÕES: UMA ANÁLISE HISTÓRICA

Authors: Hyasinth Ami Nyoh
( 0 downloads)
Abstract

A República de Camarões além de ter sua própria identidade multiétnica, herdou duas identidades do período colonial, a inglesa e a francesa, que se estabeleceram por meio da ensino formal durante a administração britânica e francesa. Após a independência, o país adotou na educação básica12 uma política educacional bilíngüe com dois subsistemas, inglês e francês, respectivamente. No nível superior, a primeira universidade pública era bilíngue, baseada na natureza bi-cultura do país. Este artigo investiga como se dá a implementação das políticas públicas de diversidade cultural desenhadas para o ensino superior. O trabalho examina as bases, práticas e armadilhas na consideração da diversidade cultural no desenho das políticas de ensino superior em Camarões. Argumenta-se, baseado na prática em universidades estatais, que os esforços de introduzir e implementar políticas biculturais inclusivas no ensino superior foram um desastre devido a variedade de demandas exigidas pela diversidade. Utilizando uma abordagem integrada para atrelar questões inter-relacionadas, o artigo concluiu que apesar da vontade de parte do governo em garantir um sistema bilíngüe inclusivo no ensino superior, o que aconteceu foi um exclusivismo, que variou de política para a prática e os resultados.

Keywords: Diversidade cultural; ingleses e franceses; política; bilíngue
RELAÇÕES ENTRE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-ECONÓMICO EM MOÇAMBIQUE

RELAÇÕES ENTRE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-ECONÓMICO EM MOÇAMBIQUE

Authors: Hélder Pires Amâncio, Vera Fátima Gasparetto
( 0 downloads)
Abstract

A palavra relação sugere uma conexão, ligação, vinculação entre uma coisa e outra. Neste caso concreto, esta proposta de comunicação pretende discutir a natureza da relação entre a pesquisa em educação e o desenvolvimento sócio-económico a partir de Moçambique. Desde a independência em 1975, a educação em Moçambique figura no topo das prioridades na Governação. A educação é encarada pelo governo moçambicano “como um direito humano e um instrumento chave para a consolidação da paz, da unidade nacional e para o desenvolvimento económico, social e político do país através da formação de cidadãos com elevada auto-estima e espírito patriótico” (Plano Estratégico da Educação 2012, 11). Para que a educação assuma este papel, a pesquisa nesta área é fundamental e ela pode seguir por duas vias: uma realizada por órgãos governamentais, que serve para avaliar o sistema de ensino e verificar aquilo que precisa ser melhorado, em termos de infraestrutura e na formação de professores, e a outra, realizada por pesquisadores e profissionais da educação, referente à produção de conhecimento teórico que seja aplicado nas diversas situações do processo educativo. Entretanto, ambas as vias são interdependentes. Esta comunicação centrar-se-á na segunda via, buscando refletir em torno de questões como: o que é a pesquisa em educação e em que ela consiste ou como se faz? De que é que estamos a falar quando nos referimos ao desenvolvimento sócio-económico, no caso particular de Moçambique? Quando é que a educação e o desenvolvimento sócio-económico passaram a ser pensados como conceitos interligados e/ou interdependentes? Como a pesquisa em educação pode contribuir para o desenvolvimento de Moçambique? Estas perguntas serão respondidas com base numa análise da literatura sobre o assunto.

Keywords: Pesquisa em educação, desenvolvimento sócio-económico, interfaces, Moçambique
RESENHA “A PRESENÇA PORTUGUESA NA GUINÉ. HISTÓRIA POLÍTICA E MILITAR, 1878- 1926” DE ARMANDO TAVARES DA SILVA

RESENHA “A PRESENÇA PORTUGUESA NA GUINÉ. HISTÓRIA POLÍTICA E MILITAR, 1878- 1926” DE ARMANDO TAVARES DA SILVA

Authors: Carlos Alberto Alves
( 0 downloads)
Abstract

The author of the book is a member of the Lisbon Geographic Society3, of the Portuguese Institute of Heraldry4 and the Society of the Independence of Portugal5; a retired professor at the Faculty of Science and Technology from the University of Coimbra, since 2002, when he began research in the area of history. A Presença Portuguesa na Guiné. História política e militar, 1878- 1926 a book with thirty-two chapters, with a preface by Nuno Vieira Matias, President of the Academy of the Portuguese Navy6, granted the author the “Calouste Gulbenkian Foundation Prize” in 2016, awarded by the Portuguese Academy of History7.

Keywords: RESENHA “A PRESENÇA PORTUGUESA NA GUINÉ
RESENHA “A GUERRA CIVIL EM ANGOLA, 1975-2002” DE JUSTIN PEARCE

RESENHA “A GUERRA CIVIL EM ANGOLA, 1975-2002” DE JUSTIN PEARCE

Authors: Gilson Lázaro
( 0 downloads)
Abstract

A guerra civil em Angola, 1975-20023, as was the book published on April 2017 in Portugal by the South-African journalist and researcher Justin Pearce, whose original edition in English presents a diametrically opposed title – Political identity and conflict in Central Angola, 1975-2002 with double edition in United States of America and in South Africa by the Cambridge University Press. The translation published two years later is interesting to the Portuguese-speaking reader and makes for a pleasant read. The book cover is ostensive, featuring a vibrant red that seeks to antagonize the black rooster symbol of UNITA and the black and yellow star symbol of MPLA. In this edition, differing from the original, the black and yellow star overlaps the black rooster. Its purpose has not gone unnoticed, because the book cover and the gesture of overlapping the political symbols of the two rival movements, besides the colors and title, seems to clash with the content. The book is the result of some dozens interviews of the author in the Central Plateau of Angola region, with its notably unpretentious original edition featuring on the cover the photography of a former fighter of UNITA in an ex-military area situated in the Bié province, whilst the back cover brings comments of reputable academics of Angola topics4.

Keywords: RESENHA “A GUERRA CIVIL EM ANGOLA
RESENHA “POLÍTICA EXTERNA NA ÁFRICA AUSTRAL: GUERRA, CONSTRUÇÃO DO ESTADO E ORDEM REGIONAL” DE IGOR CASTELLANO DA SILVA

RESENHA “POLÍTICA EXTERNA NA ÁFRICA AUSTRAL: GUERRA, CONSTRUÇÃO DO ESTADO E ORDEM REGIONAL” DE IGOR CASTELLANO DA SILVA

Authors: Camila Santos Andrade
( 0 downloads)
Abstract

It’s noticeable, in recent years, that there was an increase in Brazilian academic interest for Africa, stimulated, largely, by the strengthening of the political and economic relations between Brazil and the African continent in the governments of the beginning of 21st century. The papers that were born into this movement seek to describe, to understand and, beyond that, to avoid African stereotypes, as poverty, hunger and conflict. In this sense, the book Política Externa na África Austral approaches a subject of strategic, economic and political relevance, presenting African states as agents of their own regional interactions. Aiming to analyze Southern Africa foreign policy role from the patterns of cooperation and conflict in Southern Africa, the author utilizes a systemic perspective (including international, regional and domestic factors) to understand the reality which took place between the years of 1975 and 2015. In order to understand this goal, the book is divided in three parts. The first part, which covers chapters 1, 2 and 3, presents a theoretical discussion that leads to the subject of analysis. Aspects as the New Regionalism, Foreign Policy Analysis, the debate among the International Relation theories and the structure of the unities are remarkable points of the discussion.

Keywords: RESENHA “POLÍTICA EXTERNA NA ÁFRICA AUSTRAL
ESTRATÉGIA ALTERNATIVA PARA A CRISE NA REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA: O ESTABELECIMENTO DE UMA FORÇA AFRICANA PERMANENTE DE PAZ

ESTRATÉGIA ALTERNATIVA PARA A CRISE NA REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA: O ESTABELECIMENTO DE UMA FORÇA AFRICANA PERMANENTE DE PAZ

Authors: Josias Marcos de Resende Silva
( 0 downloads)
Abstract

Em 2013, após o golpe liderado pelo Séléka, que são grupos rebeldes muçulmanos, as milícias cristãs, também conhecidas como anti-Balaka, decidiram retaliar. Esta disputa violenta deteriorou as condições já pobres na República Centro-Africana (RCA). Embora a Organização das Nações Unidas (ONU) tenha estabelecido uma missão multidimensional de manutenção da paz na RCA, a MINUSCA não foi eficaz para conter o conflito e evitar uma crise humanitária. Assim, este artigo examina um novo conceito para a estruturação de forças de manutenção da paz na África, particularmente na República Centro-Africana, que é o estabelecimento de uma força africana permanente de manutenção da paz. Após uma pesquisa bibliográfica e uma entrevista com um observador militar brasileiro, que trabalhou na RCA, foi possível verificar que os contingentes militares nacionais que integram a MINUSCA enfrentam graves problemas, como baixo nível de treinamento de tropas, salários atrasados, parcialidade e até mesmo a violação dos direitos humanos da população civil, minando a credibilidade da ONU no país. A fim de melhorar a eficácia da força militar na RCA, uma força africana permanente de manutenção da paz, como um ramo da União Africana (UA) e sob o controle da MINUSCA, parece ter mais chances de ter sucesso, já que esta tropa seria mais imparcial, melhor remunerado e especificamente treinado para as operações de paz.

Keywords: Força Africana Permanente de Paz, União Africana, Nações Unidas, MINUSCA

About Europub

EuroPub is a comprehensive, multipurpose database covering scholarly literature, with indexed records from active, authoritative journals, and indexes articles from journals all over the world. The result is an exhaustive database that assists research in every field. Easy access to a vast database at one place, reduces searching and data reviewing time considerably and helps authors in preparing new articles to a great extent. EuroPub aims at increasing the visibility of open access scholarly journals, thereby promoting their increased usage and impact.